A cada ano que passa a TV Globo me surpreende. Durante décadas a principal emissora do país viver dentro de uma bolha, onde não existia nada fora dela. Os grandes artistas eram do seu casting, já os que trabalhavam em outras emissoras era meros desconhecidos. Nos últimos anos e graças aos novos diretores da emissora, parece que esta mentalidade tem mudado. Claro que isso tudo se deve também a ascensão das mídias sociais, além do surgimento de plataformas digitais, que se tornam cada vez um concorrente de conteúdo.

Bom, o fato é que no aspecto do humor a Globo sempre teve a fama de destruir grandes talentos. Por se tratar de uma emissora onde presa-se pelo politicamente correto, muitos grandes humoristas saiam de uma emissora onde tinham grande liberdade para fazer piadas e críticas a todos os tipos de público e chegavam na tv carioca com quase nenhuma liberdade. O mais recente caso tinha sido do Marcelo Adnet, que sem dúvidas é um talento, porém precisou passar por um grande fracasso (Dentista Mascarado) e até mesmo uma temporada na geladeira, onde aparecia esporadicamente no Fantástico, até conseguir encontrar uma parceria que o levasse a voltar as suas raízes.

Marcius Melhem é o grande responsável pelos novos rumos do humor na emissora. Ele agora é o chefe dos projetos de humor da TV Globo e a sua primeira aquisição não poderia ser mais assertiva. Trata-se do grupo de humor da TV Quase, um canal do YouTube responsável por criações como “Falha de Cobertura” e o fenômeno “Choque de Cultura”. É exatamente para reviver os mal-humorados “pilotos” do transporte alternativo do país que foram chamados. Em um horário totalmente novo, logo após a Temperatura Máxima,  Rogerinho do Ingá, Renan, Julinho da Van e Maurílio fazem uma breve análise do filme que acabou de ser transmitido.

Ao saber que o “Choque de Cultura” tinha ido para a Globo, disse para mim mesmo: “Acabou, vai ficar ruim”. Bom, para uma grata surpresa, eles continuam sendo tão bons quanto nos tempos de Youtube. Claro que na TV aberta é preciso controlar alguns palavrões e até mesmo conteúdo, mas continuam sendo aquilo que conquistou tantos fãs pelo país. Porém alguns fatos como, citar artistas de outras emissoras e até mesmo algumas das frases absurdas que sempre falavam, está liberado e até mais intensas.

Vida longa ao Choque de Cultura e Parabéns TV Globo.